.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

TUDO QUE SEI____DÚ CARMONA



Tudo que sei nesse instante
É o que minha alma sente...
E como ela sente...
Seria eu a sentir?
Ou seria minha alma
A me sentir?
Ou seria minha a alma
De tantos ‘eus’
De todos os instantes?
Tudo o que sei desse instante
É que um dos meus ‘eus’
Não quer que vá embora
O que nem mesmo chegou
Mas minha alma já sente...
http://recantodasletras.uol.com.br/pensamentos/1054920

1 Comentários:

  • O poema pinta um instante onírico onde matéria e espírito se condensam.O eu-lírico confunde sensações e desejos,a única certeza (em suas múltiplas faces) é a necessidade de absorver um amor que lhe é antecipado(isso é tudo que sabe), pois que outro sentimento causaria tamanho conflito em su’alma senão este, sempre contraditório e volúvel nos corações humanos?
    ......
    *Dú, possue o dom de percorrer os recantos da alma, traz sempre em seus poemas a beleza da vida desenhada à sua luz. Daí o porquê de tê-la por "poeta da alma"!

    Por Blogger n_freudexplica, às 6 de agosto de 2008 11:26  

Postar um comentário

<< Home