.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

PORTO_ AMOR SEGURO___CARLOS EDUARDO

Pensamentos escusos
corroem o meu ser.
Desconheço meus atos.
Não meço meus encalços.
Luto com meus demônios.
Que zombam de mim.
Eles vão!
Eles voltam !
Desisto de lutar...
Os pensares, do meu impensar,
se fundem numa dança
inconstante no tempo.
Desconheço-me!
Vejo-me como um louco insensato,
que navegou em outros mares,
provando novas iguarias,
inalando novos venenos,
em portos não seguros.
Agora ouso romper o silêncioda minha loucura,
clamando por ti,implorando o teu corpo.
Pois nele hei de mergulhar sem medo.
Conheço teus venenos.Inalo-os sem medo...
Em ti sei quem sou,
pois és meu porto-amor-seguro.


EDUARDO
Praia GRANDE -SP

4 Comentários:

  • Obrigado pela oportunidade de mostrar um pouco do meu trabalho!
    Pessoas como vc e o seu jornal que nos fazem lutar e escrever sempre!
    bjao

    Por Blogger Edu, às 31 de janeiro de 2008 03:10  

  • Du, este é o poema teu que mais gosto, ele me leva a refletir sobre o meu porto seguro....espero que continue colocando sentimentos no papel e fazendo outras pessoas como eu sonhar....em cada verso...
    Boa sorte! Muito Sucesso!
    Bjs
    Claudia - SP

    Por Blogger Claudineia, às 31 de janeiro de 2008 03:17  

  • Este comentário foi removido pelo autor.

    Por Blogger Alguém, às 31 de janeiro de 2008 07:54  

  • Estamos numa eterna busca. E por causa dessa busca por um parceiro ideal acabamos por conhecer inúmeras pessoas que não nos oferece nenhuma segurança e sempre acaba nos restando apenas o vazio. Até que um dia esbarramos com alguém que acreditamos ser o nosso porto seguro. E este seu poema explicita isso. Por isso o adorei, pois de certa forma ele descreve muito bem esta última fase da minha vida.

    Ósculos e amplexos!


    Ass: Alguém que te quer

    Por Blogger Alguém que te quer, às 31 de janeiro de 2008 08:19  

Postar um comentário

<< Home