.

domingo, 3 de agosto de 2008

QUEM É ANA PAULA PERISSÉ


Sou qualquer coisa que vive na vertigem de ser, que sonha e que se perde, que se rencontra na pulsão vívida do Outro ou que foge do local onde está para voltar e escapar virada e remexida em minhas entranhas...
Sou apenas uma viajante, aprendiz do tudo e do nada,
Quem sou eu???? Nunca saberei, posto que não sonho com certezas...
Ah! Definições! Ah! Clarice!
Tenho 38 anos, casada com um filho muito amado, sou cidadã carioca e luto muito para continuar sendo, Publicitária formada pela PUC-RJ onde ganhei uma bolsa de estudos para estudar Fine Arts and Sciences na University of Illinois at Urbana- Champaign, EUA; tenho MBA Master em Marketing pela PUC-RJ; sou mestre em Psicologia Social pela UERJ e doutoranda também em Psicologia Social na UERJ.
Meus trabalhos publicados estão concentrados na área científica, porém estou participando pela primeira, como poeta, da Antologia Dellicatta III a ser lançada na Bienal do Livro, SP, em agosto deste ano.
Gostaria de paralelo ao trabalho acadêmico, continuar meu ofício de poeta e de escrevinhadora ( para escritora, estou muito longe..., tanto a aprender!) porque todos os leitores merecem minha honrosa reverência.

26 Comentários:

  • Tenho o privilégio de ter contato com a Ana Paula. Que se auto define como iniciante na arte de escrever, o que discordo plenamente. Suas poesias, textos, frases e crônicas são, na minha visão, de alta qualidade. Uma participação na Bienal do Livro de São Paulo pode ajudar a compreender a minha opinião. Desejo-lhe sucesso Ana. Muita inspiração. Com "blues" ou não. Parabéns, Sandra. Pela escolha de sua postagem.

    Por Blogger Angelo, às 3 de agosto de 2008 14:22  

  • Conheço a Ana Paula desde a faculdade, e desde então ela já escrevia muito! Pessoa linda, inteligentíssima e batalhadora. É um imenso prazer de poder dizer que sou amigo dela. Sempre recebo seus lindos poemas pelo Orkut, e ajudam a iluminar o meu dia. Parabéns, querida amiga, e parabéns também à Sandra, pela homenagem a ela.

    Por Blogger Eduardo B. Penteado, às 3 de agosto de 2008 14:30  

  • porque a humildade anjo?
    Ja te lí e vc não é Escrivinhadora p...
    nenhuma.
    Escreve com o coração.
    Xeros...

    Por Blogger jenario, às 3 de agosto de 2008 14:33  

  • Perissezinha escreves com a alma e o coraçao,vc me encanta sempre com teus belissimos poemas,ainda nao tive o previlegio de te conhecer,mas um dia quem sabe q gente se encontra fora desse mundo virtual.
    abraços querida Poetisa

    Por Blogger nolivia, às 3 de agosto de 2008 14:40  

  • Linda, maravilhosa!Não nos conhecemos pessoalmente, apenas do mundo virtual e compartimos participação na nossa Comuna, além do gôsto pela poesia e etc.Mas é maravilhosa escritora sim!Costuma parir obras lindíssimas!Sou fã de carteirinha de Ana e suas obras!

    Por Blogger Ana, às 3 de agosto de 2008 15:01  

  • Ana Paula Perissé
    (em nossas vidas)


    tod’as pessoas
    t’em sua pessoa
    um pouco do Pessoa
    Movimento a esmo
    movimento Plural

    “o que será ser Orfeu?
    1 baile de máscaras?
    1 desfile de diversidades? “

    F
    R
    A
    G
    M
    E
    N
    T
    O
    S

    1 ano qualquer doS’éculo vinte 1
    vim te vê
    bem te vi
    anônimo
    heterônimo
    Letal como o AMOR que
    PROCURA
    1’a poeta y a poesia
    o discurso y o talco
    palco dos dramas RECORRENTES nas tristes comédias

    “Sem verdades
    Caeiro... Campos... Reis ou ele mesmo Fernando
    Infernando a poética personificada
    Reis narra do exílio:
    - Falta tudo – Trabalho – Justiça – Comida - Saúde...
    até literatura
    não há leitor de barriga vazia”

    falta água
    faltam dentes
    Gentes!
    faltam amigos

    então ela diz na VERSARIA

    “Invento-os...”

    Por Blogger seufuviu, às 3 de agosto de 2008 16:33  

  • Ana é um amor de criatura além de ser ótima escritora. Ë uma pessoa muito culta e delicada no trato com os amigos virtuais. Te gosto muito, Ana!

    Por Blogger ana wagner, às 3 de agosto de 2008 16:40  

  • Este comentário foi removido pelo autor.

    Por Blogger Guilherme, às 3 de agosto de 2008 16:54  

  • Conheçi a Ana Paula, em ambiente profissional, nos primeiros anos da decada de noventa, quando ela ainda trabalhava com publicidade. Lá se vão quinze anos !

    Entretanto, apenas tive a honra e a felicidade de ler seus escritos recentemente. E devo confessar que me surpreendi - e ainda me surpreendo muito - com a qualidade, a tenacidade e a vivacidade com que ela escreve.

    A verdadeira arte de dizer o indizível, de transformar letras ou palavras inteiras em emoções, está presente em suas veias.

    Dominar o vernáculo nacional apenas não é condição para se transormar viventes em poetas. É preciso ter alma ! É preciso sentir !

    Por isso, ouso dizer que as veias artísticas de Ana Paula Perissé não são veias, mas artérias !

    Grande beijo ...

    Por Blogger Guilherme, às 3 de agosto de 2008 16:56  

  • Homenagem mais do que merecida.
    Falar da mulher "Ana Paula Perissé" é um convite ao afeto. Ana não se esgota, me surpeende a cada dia com a intensidade e densidade de sua inspiração.
    Irmã de alma que o destino gentilmente colocou no meu caminho, Ana é daquelas raras pessoas que ousam viver e fazer diferente em um mundo tão sem paixão. Por ela eu vibro,luto, choro, brigo, amo!
    Obrigada por nos presentear com tanta generosidade, doce e densa,amiga. Amo você.

    Por Blogger Ma belle, às 3 de agosto de 2008 20:21  

  • Toda a Arte! Toda a poesia toda a emoção que é passada pelo crivo daqueles que sabem fazer a diferença, merece do comum dos mortais
    o aplauso!
    A admiração!

    Eis-me aqui rendidamente

    grande abraço
    luiza caetano

    Por Blogger Luiza Caetano, às 4 de agosto de 2008 01:16  

  • Ana é uma dessas espécies raras de poetas que quando lançam as poesias que nasceram pelas suas mãos, o mundo fica mais humano.
    É dela as palavras que mais me ofertaram ao coração, ultimamente, a alegria de poder sentir a pulsação da vida a cada combinação de rimas, mesmo quando não existe rima alguma aparente nos versos que constrói com tanta delicadeza.
    Tenho-a como a uma das maiores poetas que conheço.
    Parabéns, pela justa homenagem.
    Parabéns.
    Oswaldo Antônio.

    Por Blogger Oswaldo Antônio Begiato, às 4 de agosto de 2008 05:47  

  • Ele escreveu isso antes de nascermos ...e assim é meu amor.

    Love Minus Zero/No Limit

    My love she speaks like silence,
    Without ideals or violence,
    She doesn't have to say she's faithful,
    Yet she's true, like ice, like fire.
    People carry roses,
    Make promises by the hours,
    My love she laughs like the flowers,
    Valentines can't buy her.

    In the dime stores and bus stations,
    People talk of situations,
    Read books, repeat quotations,
    Draw conclusions on the wall.
    Some speak of the future,
    My love she speaks softly,
    She knows there's no success like failure
    And that failure's no success at all.

    The cloak and dagger dangles,
    Madams light the candles.
    In ceremonies of the horsemen,
    Even the pawn must hold a grudge.
    Statues made of match sticks,
    Crumble into one another,
    My love winks, she does not bother,
    She knows too much to argue or to judge.

    The bridge at midnight trembles,
    The country doctor rambles,
    Bankers' nieces seek perfection,
    Expecting all the gifts that wise men bring.
    The wind howls like a hammer,
    The night blows cold and rainy,
    My love she's like some raven
    At my window with a broken wing.

    Copyright ©1965; renewed 1993 Special Rider Music

    Por Blogger Ze, às 4 de agosto de 2008 06:08  

  • Linda Ana!!!!!! A sensibilidade e bom gosto em pessoa... Quantas vezes suas poesias e textos preencheram os meus olhos de forma sábia e alegre.....
    Parabéns adorável menina mulher!!!!!

    Por Blogger Cecilia Luisa, às 4 de agosto de 2008 06:20  

  • Ana é um elixir, o tipo de veneno do qual não podemos viver sem... suas palavras chegam em mim como brisa... sua pessoa reluz o que falta nesse mundo entropico... Dríade dos versos...

    Por Blogger † Philosoforum †, às 4 de agosto de 2008 06:54  

  • Você consegue escrever com intensidade e ternura. Enquanto lia seus textos lembrava de sua delicadeza no trato com seu filho. Tenho a impressão de que você também cuida maternalmente das palavras...
    Parabéns.

    Por Blogger Rafael, às 4 de agosto de 2008 07:26  

  • Rascunhos acerca de Ana Paula

    -Singular, aborrecida, intensa... e humilde, devo acrescentar, após ler este auto-retrato escrito...

    -Nos encontramos por causa da ciência, mas conversamos sobre coisas mais interessantes... Nos reunimos sempre em motim, em guerrilha, secretamente...

    -Ela faz de sua vida uma obra de arte. Com elegância, passa, escreve, sofre, improvisa...

    -Tem os mesmos sintomas que eu.

    -Faz da escrita um gesto intenso. Faz do comum um gesto escrito.

    -Sente prazer com o blues. E sabe dar espaço para a melancolia.

    -Já foi a New Orleans.

    -É mulher... sem ser mulherzinha.

    -Comunidades? Com quem? Solidões? De quem?

    -Língua ácida.

    -Abraço fraterno.

    -Just one life, so many women...


    Um abraço, saudade.

    Por Blogger Irapoan, às 4 de agosto de 2008 09:26  

  • PostaR um comentário sobre Aninha é muito interessante, nas páginas da vida ela quem me encontrou e tenho uma grande de poder desfrutar de uma nova amizade que vai surgindo.

    Beijos

    Paola

    Por Blogger Paola Vannucci, às 4 de agosto de 2008 11:31  

  • Ana

    Na poesia de Ana encontrei uma força criativa, rica e profunda. Seus escritos são belos, bonitos e enquanto leio, leio entrelinhas e sinto suas idéias, sentimentos, pulsações; que esta artista sensível expõe em seus poemas.
    A Ana é energia, emoção que frutifica em suas poesias e pensamentos ora tão dócil, ora tão forte. Consciente de seu cotidiano explode em ritmos, onde transmite com coragem as verdades de nossa realidade, trazendo magia e reflexão instalada em sua alma, instigando a nós leitores a lutar pelos valores perdidos no tempo. Mas, sempre recuperando a dimensão da emoção, da magia, do encantamento, construindo sonhos, radiando luz e esperança.
    Obrigada Sandra, por nos brindar poeticamente com esta amiga tão querida e que fará o maior sucesso na Bienal do Livro. E até lá fica meu carinho e admiração da Fada do Mar Suave.

    Por Blogger Fada do Mar Suave, às 4 de agosto de 2008 12:34  

  • Certo dia, nem sei direito, mas acho que foi do céu que desceu essa moça me trazendo uma amizade cheia de encantos e minha vida doravante se encheu de uma atmosfera mágica...
    Toda vez que ela retorna, e de repente, com um sorriso angelical e olhos que me transportam para além desses horizontes, sinto que à vida vale muito.
    Ela não se acha uma escritora pela modéstia natural nela, mas quem já a leu sabe do seu estilo especial e tocante. E não poderia ser diferente, afinal ela é ANA PAULA PERISSÉ, um amor disfarçado em pessoa...
    Beijos no coração amiga!!!
    Com carinho deste amigo virtual...

    Por Blogger Osvaldo Heinze, às 5 de agosto de 2008 04:04  

  • Ana Paula, sábias as suas palavras quando fala da fome do mundo. parabens. Um abraço Eliza Gregio

    Por Blogger Eliza Gregio, às 5 de agosto de 2008 11:49  

  • Apesar do pouco tempo de convívio no Orkut, Ana já é uma das minhas mais caras amiga.
    Concordo plenamente com o comentário do Jenário: essa menina escreve com o coração. E também com muito zêlo.
    Beijão, Ana.

    Por Blogger Jose Magno, às 6 de agosto de 2008 12:59  

  • O que posso dizer a respeito desta grande poetisa? Seus versos dizem mais do que todas as minhas palavras. Ana Paula é uma torrente a fluir como as águas de um riacho límpido e transparente. É um talento nascente que nos faz sonhar com um mundo onde tudo é poesia pulsante em ritmo de amor.
    Querida Ana, parabéns pelo belíssimo trabalho.

    Por Blogger Ninfa, às 7 de agosto de 2008 17:56  

  • Ana P.,

    Fiquei um bom tempo para escrever isso. Sou bem calado, mas vocÊ é uma amiga especial da Michelle e merece algo bem escrito. Não consegui achar nada existencial para escrever, mas afirmo que olho sua discussão poética na internet e na universidade com imenso prazer.
    Beijos,
    Marcelo

    Por Blogger Adalberto Furunfaua, às 8 de agosto de 2008 07:07  

  • Bom dia Paula Perissé,

    muito bom esse espaço da Sandra Almeida, no jornal O Rebate, porque assim podemos conhecer a poética e interagir com pessoas sensíveis e elevadas estética e espiritualmente.
    Parabéns por sua literatura, li os poemas e fiquei encantada.

    Abraços,

    H.F.

    Por Blogger HERCÍLIA FERNANDES, às 16 de agosto de 2008 05:13  

  • Ela foi a única pessoa que esteve ao meu lado quando mais precisei. E sua poesia reflete essa grandeza.

    Por Blogger flordapimenta, às 30 de agosto de 2008 08:29  

Postar um comentário

<< Home